Situado na microrregião de Juiz de Fora, o município nasceu em consequência da abertura do “Caminho Novo”, por volta de 1698, pelo desbravador Garcia Rodrigues Paes. O primeiro donatário e colonizador das terras municipais foi Simão Pereira de Sá, fundador do arraial que recebeu seu nome: Simão Pereira. Como o território ficava próximo ao Rio de Janeiro e livre do pagamento, por se achar afastado do “Caminho Novo” e posto da arrecadação (atual cidade de Matias Barbosa), tornou-se rápido crescimento do núcleo.

    Em 1718, criava-se a freguesia de Nossa Senhora da Glória, com sede na fazenda de Simão Pereira de Sá. Supõe-se que, por volta de 1850, o arraial entrou em decadência pois a sede da paróquia foi mudada para Juíz de Fora. Foi restaurada em 1852, mas perdeu esta condição, definitivamente, em 1858, quando foi transferida para o povoado de Rancharia com a denominação de São Pedro de Alcântara. 
Cresceu o novo núcleo para o qual se transferiam todos os moradores da região determinando, inclusive, o esvaziamento do primitivo povoado. Conclue-se que a atual cidade não se localiza na antiga fazenda do fundador. Em 1943, o nome da localidade foi mudado para Simão Pereira. O topônimo é uma homenagem ao primeiro colonizador do município, Simão Pereira.

Ver mais