A primeira atividade econômica do município foi à agricultura, onde sobressaiam as culturas de café, cana-de-açúcar, milho, arroz, feijão e mandioca. Quase todas as fazendas tinham engenhos com alambiques onde se fabricavam cachaça, açúcar preto e rapadura.  Através do Conselho Municipal de Proteção ao Patrimônio Cultural de Argirita foi realizado um trabalho junto ao IEPHA que resultou no primeiro tombamento a nível municipal de um imóvel conhecido como Casa da Cooperativa, hoje Casa De Cultura Augusto Martins Rossi.

 

    Se você for visitar Argirita é bom conher um pouco da agenda cultural do município. O Concurso de Poesias “Castro Alves” em sua 25ª edição, com a participação de poetas de várias cidades mineiras e até de outros estados. O Jubileu do Senhor Bom Jesus de Argirita é a festa mais tradicional, assim como a Festa de São Geraldo na Comunidade dos Bitirras e a Festa da Nossa Senhora da Cabeça na Comunidade dos Carmos e a Festa de Santo Antônio da Comunidade rural da Serra da Prata. O Carnaval, a Exposição Agropecuária que chega a sua 45ª edição, a Festa Junina Arraiá do Custódio, Festival da Terra e o Encontro do Argiritense Ausente são as festas mais tradicionais do município. Dos destinos turísticos, podemos citar a Cachoeira do Sr. João Almeida, Cachoeira do Monte Redondo dentre tantas outras cachoeiras típicas dos domínios morfoclimáticos dos mares de morro de Minas Gerais. Sobre os produtos que referenciam o município, podemos citar os queijos dos Laticínios Alzira, famosos por sua qualidade e sabor, o Torresmo do Bar do Tatu na praça principal, os saborosos lanches do Paradinha Lanches, os doces artesanais das doceiras da cidade.

 


Dicas de Viagem: O calendário de eventos de Argirita é diversificado e atrai grandes quantidades de turistas. São realizadas a Festa de São Sebastião (janeiro),  a Semana Santa (abril), festa junina de Santo Antônio, Encontro do Argitirense Ausente e Festival da Terra (junho) e a Festa do Jubileu do Bom Jesus (setembro), entre outras.

Ver mais