Turismo em Minas Gerais | Quitandas Deliciosamente Mineiras

Quitandas Deliciosamente Mineiras

Atualizado em: 06/02/2020

Por: Luis Carneiro

Ninguém duvida que a gastronomia mineira seja um atrativo turístico a parte. Nossas receitas, aliadas ao aconchego da hospitalidade, dão um gostinho especial a todos os nossos destinos. As quitandas são exemplos disso, nasceram nas comunidades tradicionais, como uma forma de dar maior utilidade aos alimentos em abundância em regiões rurais, como milho, mandioca, leite e queijo, e hoje são reconhecidas como expressão gastronômica do estado.

Em Minas, as quitandas são broas, bolos, biscoitos, rosquinhas, pães de queijo e o que mais acompanhar um bom cafezinho. Algumas cidades mineiras se destacam na produção desses quitutes tradicionais e dão uma verdadeira aula. Vem conferir quais cidades e os principais atrativos que vão te deixar com vontade de viajar e com água na boca.

Paracatu

  

Foto1: Queijadinha de Wilma Monteiro e Mestra Marlene Monteiro. Por: Carlos Roberto de Oliveira

Foto 2: Bolo de domingo. Por: Carlos Roberto de Oliveira

Foto 3: Empada de massa fina. Por: Carlos Roberto de Oliveira

A “Terra das quitandas” tem uma mostra dedicada a essas delícias mineiras. Dentre as mais famosas produzidas em Paracatu, estão a queijadinha, a desmamada, a empada de massa fina e o bolo de docmingo. Assadas em forno a gás ou de barro, as quitandas de Paracatu conferem à cidade um sabor único, que faz jus ao título recebido e não passa despercebido.

Na cidade, que tem o centro histórico tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), é possível observar mais de duzentas construções da época do ouro. Além de cachoeiras e igrejas centenárias, Paracatu conta com uma charmosa casa de cultura que encanta quem por ali passa. 

Congonhas

Foto 4: Acervo Secult MG - Xará.

Em maio, Congonhas sedia o Festival da Quitanda, um evento para os amantes da gastronomia mineira, que tem como plano de fundo, as quitandas, sua tradição e importância para o lugar. O festival, premia todos os anos, as melhores receitas da cidade e da região, entre as receitas premiadas já estiveram o bolo de banana especial, broas de sabores diversos e até um nhoque à mineira, dá para perceber que os ingredientes são sempre regionais né?

A cidade, que é famosa pelo conjunto de esculturas de Aleijadinho que se impõe à frente da Basílica de Bom Jesus do Matozinhos, é um destino imperdível para quem gosta de arte, história, arquitetura e até natureza, com opções de cachoeiras e esportes radicais.

São Tiago

Conhecida como a “Terra do Café com Biscoito”, São Tiago fica a 200 km da capital e esbanja simpatia. Em setembro acontece a Festa do Café com Biscoito, onde, além da degustação é possível participar de oficinas para aprender a arte dos biscoitos feitos na cidade. Até a década de 90, não existiam fábricas de biscoito em São Tiago, tudo era feito de maneira artesanal, pelas mãos das e dos metres quitandeiros, e essas delícias viajavam longe, viu?

O município é conhecido também por suas cachoeiras, que atraem visitantes em todas as épocas do ano.

São Bartolomeu

Foto 5: Acervo Secult MG - Solon Queiroz.

São Bartolomeu é um lugar para quem gosta de calmaria (e de bons doces). O distrito de Ouro Preto é um lugar aconchegante, cercado de natureza e que celebra muito bem sua gastronomia. Lá, os doces são feitos no tacho de cobre, e é preciso estar atento ao “ponto” senão desanda tudo. Seja no dia a dia ou nos dias de festa como a Festa da Goiaba ou no Encontro de Tradições Culinárias, quem vai a São Bartolomeu é conquistado pelo paladar e sempre volta.

Igarapé

Anualmente, no mês de julho, a cidade recebe o festival Igarapé Sabor - Mestras e seus Temperos que celebra a culinária local, e as mestras da cozinha mineira. Na ocasião, na praça das quitandas, são servidas quitandas de todos os tipos e o cafezinho para acompanhar. Não dá para ir a Igarapé e sair sem experimentar o biscoito frito, quitanda tradicional da cidade, que na época do festival é uma atração a parte, com espectadores assistindo aos biscoitos serem fritos pelas mestras.

O município é também, um lugar para os amantes de esportes radicais.

Falar de quitanda é falar de Minas, essas delícias que a gente não consegue comer uma só. Os ingredientes e modos de fazer dizem muito sobre os mineiros, e certamente todas as variedades de receitas, as histórias e a paixão de quem as produz. Que tal saborear a cultura mineira em sua próxima viagem?

 

Comentários