Turismo em Minas Gerais | Observação de aves da Serra do Espinhaço

Observação de aves da Serra do Espinhaço

Atualizado em: 04/03/2020

A observação de aves é uma das atividades de ecoturismo que mais vem crescendo nos últimos anos e, graças a sua incrível biodiversidade, Minas Gerais é um dos destinos mais procurados. Nosso estado possui cerca de 800 espécies conhecidas e algumas dessas só podem ser encontradas por aqui. O local que essas raridades escolheram como casa é a Serra do Espinhaço, a única cordilheira montanhosa do Brasil, cortando mais de 1000 quilômetros por Minas e Bahia. Apesar disso, ela é melhor conhecida por suas partes. Vamos conhecer algumas delas?!

Serra da Moeda 

A Serra da Moeda ocupa um importante trecho de Cerrado e Campo Rupestre, entre Brumadinho e Congonhas, onde podem ser encontradas mais de 350 espécies de aves. Possui importantes de proteção como o Monumento Natural da Serra da Moeda e da Serra da Calçada. Entres elas destacam-se o rabo-mole-da-serra, tapaculo-de-colarinho, corruíra-do-campo, maxalalagá e cuitelão.

Serra do Caraça

O Caraça é uma das mais importantes áreas de Mata Atlântica do Espinhaço e lá podemos encontrar espécies típicas das nossas florestas como pica-pau-rei, tucano-de-bico-verde, saíras das mais variadas, sabiá-una, formigueiro-da-serra, tapaculo-serrano entre outros. Além disso o Caraça também é um dos mais espetaculares locais de Minas para avistamento de mamíferos, com destaque para o belíssimo lobo-guará e para o arisco macaco-guigó.

E ainda tem...

Serra do Cipó

A Serra do Cipó é certamente um dos mais importantes trechos do Espinhaço, onde as espécies exclusivas de Minas podem ser encontradas com mais facilidade. Seus campos rupestres guardam uma das maiores biodiversidades do planeta e é lá que podemos encontrar o lenheiro-da-serra-do-cipó, o pedreiro-do-espinhaço, beija-flor-de-gravata-verde e o asa-de-sabre-do-espinhaço, espécie de beija-flor recentemente descrita pela ciência. Também por lá encontramos os belíssimos campainha-azul e chifre-de-ouro.

Botumirim

Botumirim entrou no mapa da observação de aves em 2015, quando a rolinha-do-planalto foi reencontrada. Essa espécie ficou desaparecida por mais de 70 anos sem nenhum avistamento e hoje é certamente uma das espécies de aves mais raras do mundo e, atualmente, ela só pode ser avistada aqui em Minas Gerais. Hoje Botumirim recebe centenas de pessoas de todo mundo apenas para ver a pequenina ave. Além dela Botumirim ainda guarda outras joias, principalmente passarinhos típicos da Caatinga, destaque para o farinheiro, choca-do-nordeste

                                                                                                   

Comentários