Turismo em Minas Gerais | Rio Vermelho

Igreja Nossa Senhora da Pena

A edificação possui tipologia eclética, estando situada em adro, o qual possui escadas e rampas voltados para a rua de nível mais baixo. O sistema construtivo empregado é a estrutura de concreto e alvenaria de tijolo cerâmico. Na fachada frontal há três portas e acima delas três portas –sacadas que possuem vergas ogivais. Há duas torres menores em cada extremidade e uma maior no centro. As aberturas ao longo das torres são compostas por janelas de vergas em arco-pleno e óculos. Acima das portas-sacadas desenvolveu-se um frontão com elementos em alto e baixo relevo feitos em argamassa. As fachadas laterais são divididas em duas partes, a eclética, próxima às torres, e a colonial, ao longo da nave e capela-mor. A planta é composta por um pequeno átrio que precede a nave. Acima dele está o coro acessado por uma escada. A nave é longa é possui uma arcada que a separa dos corredores laterais e o arco-cruzeiro do altar-mor. Atrás deste encontra-se a sacristia, único cômodo de dois pavimentos, acessado por um dos corredores laterais. Do outro lado há uma capela lateral. A cobertura da nave e da capela-mor é de telha de cerâmica colonial industrializada, possuindo cumeeiras paralelas às ruas. A cobertura das três torres possuem forma piramidal. O beiral nas fachadas laterais é composto por cachorrada e forro de tabuado de madeira. O piso compõe-se de marmorite. Já o forro é constituído por tabuado de madeira em forma de abóbada facetada. As esquadrias , as portas e as molduras dos vãos, quando existem são pintadas na cor branca. A cor predominante é a azul com detalhes em branco por toda a parte.

Ver mais

  • Localização

    Urbana

    Praça Nossa Senhora da Pena, -

    CEP - Rio Vermelho - MG

  • Pontos de Referência

    A Partir da Igreja do Rosário, ir no sentido da Praça Nossa Senhora da Pena

  • Horário de Funcionamento

  • Tipo de Visita

    Não guiada;

  • Entrada

    Franca

  • Atividades Realizadas

    Celebrações religiosas e visitas culturais

  • Acessibilidade